a
#DesceProCampo

Unindo atletas, clubes e parceiros.

Siga-nos
Topo

Blog

A (des) aptidão do futebol do Brasil

Por Anderson Tressmann

Twitter: @sociojogador

A (des) aptidão do futebol do Brasil

Após 26 rodadas, o artilheiro do brasileirão mantém-se com 13 gols, média de 0,5 por jogo, com esta média, o artilheiro terminará o campeonato com 19 gols.

É uma média regular, levando em consideração os últimos campeonatos brasileiros. O problema é a “desaptidão” do nosso futebol, a falta de apetite por gols. Jogamos um futebol pragmático, que abre mão do desejo de atacar e prefere o não perder, do que o ganhar.

Infelizmente não jogamos o futebol vistoso de tempos atrás e não digo apenas que os talentos foram embora, ou que não temos os craques de antes, mas há uma mentalidade diferente em nosso futebol, o país do futebol não é mais como antes, paramos de produzir talentos? Não, de forma alguma, Gabriel Jesus, Paquetá, Vinicius Jr, Rodrygo e Paulinho e outros nos provam que o celeiro continua produzindo talentos.

Podemos comparar o futebol brasileiro com o futebol inglês? Na questão de investimento, organização, craques e mídia, definitivamente não. Mas qual a mentalidade dos inventores do futebol?

Os últimos 26 anos consolidaram o campeonato inglês, como o campeonato mais atraente do mundo, obviamente que os fatores mencionados, mas também pela postura vencedora do campeonato, obvio que há jogos mais pegados e momentos que vivemos “ataque contra defesa”, mas o objetivo do futebol inglês é ganhar, as vezes não é brilhante, mas as equipes vão a campo para vencer e não pensando em combinações de resultado.

Há alguns dias atrás, na Copa da Liga Inglesa, o Derby County não intimidou-se com o gigantesco Manchester United e virou o jogo no tempo normal e só não venceu pelo gol Fellaini nos acréscimos.

Em período eleitoral, que ouvimos tanto sobre o Brasil que queremos, quero falar o futebol brasileiro que eu quero, quero um futebol que busque a vitória, que não maltratem a bola, quero ver times criativos nas categorias de base, quero que nossas bases privilegiem o talento ao invés da força física, quero ver gols no Campeonato Brasileiro, quero ver goleadas e times jogando o “fino da bola”, jogando de acordo com nossas origens, quero ver mais talento em campo, quero ver o artilheiro do brasileiro com 30 gols, é esse o futebol brasileiro que eu quero!

E vocês amigos leitores?

——————————————–
Anderson Tressmann, comunicador, fundador da Sócio Jogador, desde 2016 atuando com consultorias esportivas e gestão do programa Sócio Torcedor.

Nenhum Comentário.

Deixe um Comentário